sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Da greve

Não não fiz greve, muito pelo contrário até trabalhei dois turnos seguidos.
Penso que na situação em que estamos, no momento de crise em que estamos devemos produzir ao máximo. Devemos querer ser excelentes no que fazemos. Devemos mostrar à Europa que podemos precisar de um empurrão mas que as pernas para andar são nossas e que as queremos e estamos a usar.
Já fui lixada com esta crise e ainda vou ser mais mas continuo a achar que este país tem muito para se oferecer...
Há que acreditar.

1 comentário:

João disse...

parabens. um apelo *à coragem e bravura do nosso povo nestes teus textos.